quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Como um broche pode destruir uma vida…

Não se fala de outra coisa: as empregadas da limpeza, os seguranças, os funcionários de diferentes postos de trabalho e hierarquias, tudo fala do mesmo…
Segundo se consta um funcionário desta organização, que por seu lado é casado, filho de gente importante na casa, foi apanhado a fazer um real blow job a um homem nas traseiras do edifício.
Como apanhar a ver não foi o suficiente, e como a pessoa em questão tem responsabilidades profissionais e até mesmo alguma visibilidade, atendendo às funções que aqui desempenha e uma vez que os seus progenitores também aqui trabalham, chamaram os seguranças a informar do que estava a acontecer, e exigiram que estes inergumenos exigissem as identificações dos perpetradores do acto.
Escusado será dizer que o tema de conversa do dia e dos próximos tempos será o broche que o sr (…) fez…"E que é um ganda panasca..." Gente ordinária que não tem noção das consequências danosas do que estes comentários podem originar.
Este sujeito está fodido para o resto da sua vida. Maldito broche que lhe vai destruir a vida familiar e profissional. Que mundo é este em que vivemos? Onde está a tolerância?...Onde está o respeito pelo próximo...Humanismo?!?! Esse´, só nos livros e nas bocas de gente hipocrita.
Fiquei perturbado quando soube disto, não propriamente por ele ter sido apanhado, mas sim por não ser um anónimo na instituição e constituir assim motivo de conversa e chacota. Que mal tem em ser-se gay? Se fosse apanhado a fazer um cunnilingos à secretária seria motivo de conversa para uma semana e depois acabava. Mas não, foi um broche a outro homem.
O mal foi a escolha do sitio…maldito broche!

21 comentários:

a arca do serrano disse...

peço desculpa, mas não sou capaz de parar de rir. Tb nas traseiras?? não há um sitio onde se possa trancar uma porta??? ou terá sido o delirio de ser «caught in the act»?

Mas agora, a sério, podiam ter visto, comentado, falado e pronto. mas identificar?? Reacção exagerada. Ou talvez não... não sei que tipo de instituição é, mas há certos circulos que seria um belo pretexto para "lixar" a carreira de alguém!

pinguim disse...

Há verdade no que dizes, alguma (muita) má fé na identificação da pessoa, denotando uma certa vingança sub-hierárquica, mas também alguma precipitação, ou "pressa" brochista...

Phaos disse...

Olha, dando a minha opinião honesta, é bem feito. O sr não mediu as consequências do seus actos, não estamos própriamente a falar de uma situação inevitável. Ele de forma consciente decidiu correr o risco de ser apanhado, e deitar tudo a perder, não me parece que se fosse com a secretária o coxixo fosse diferente. No local de trabalho?Francamente, mas estamos onde? Se é alguém com alguma relevância tem certamente possibilidade na pior das hipótese de ir para uma pensão. Acho que a lei que regula "os bons costumes" ainda permite a apresentação de queixa por atentado ao pudor, e como tal, a identificação é necessária para a formalização de qualquer queixa.

Lamento não considerar a situação como "um simples broche" mas o homem não estava a fumar um cigarro nas traseiras do edificio, estava em pleno acto sexual,vá lá, tenhamos um pouco de noção da diferença. quantos aos comentários, não são agradaveis de se ouvir mas são as consequências de um acto vulgar que naturalmente recebe comentários à medida.

PS: não te tenho visto pelo meu mundo, por onde andas?

Phaos disse...

Olha, dando a minha opinião honesta, é bem feito. O sr não mediu as consequências do seus actos, não estamos própriamente a falar de uma situação inevitável. Ele de forma consciente decidiu correr o risco de ser apanhado, e deitar tudo a perder, não me parece que se fosse com a secretária o coxixo fosse diferente. No local de trabalho?Francamente, mas estamos onde? Se é alguém com alguma relevância tem certamente possibilidade na pior das hipótese de ir para uma pensão. Acho que a lei que regula "os bons costumes" ainda permite a apresentação de queixa por atentado ao pudor, e como tal, a identificação é necessária para a formalização de qualquer queixa.

Lamento não considerar a situação como "um simples broche" mas o homem não estava a fumar um cigarro nas traseiras do edificio, estava em pleno acto sexual,vá lá, tenhamos um pouco de noção da diferença. quantos aos comentários, não são agradaveis de se ouvir mas são as consequências de um acto vulgar que naturalmente recebe comentários à medida.

PS: não te tenho visto pelo meu mundo, por onde andas?

Maurice disse...

À parte tudo o que possa dizer sobre a imprudência do senhor, nestes casos salta à vista a desproporcionalidade da pena: humilhação pública, estigma vitalício e a inevitável estruturação biográfica num "antes" e num "depois". Pena exagerada para acto tão fugaz. Lamentável.

Tongzhi disse...

Eu também considero no mínimo imprudente e inconsequente da parte dele. Não havia um sítio mais "calminho"? Brincou com o fogo... e queimou-se. Claro que não havia necessidade de tanta exposição do caso, mas as pessoas são assim...

Anónimo disse...

O mal não é o Broche nas traseiras, mas ter sido apanhado. A história é mesmo verdadeira???

Manuel disse...

Anónimo:
seria muito nice se tivesses nome.
A história é verdadeira e ocorreu no final/principio desta semana.
O local, não irei revelar por questões de não incitar mais ainda o falatório...nunca se sabe quem por aqui anda
:)

Lampejo disse...

O problema é que neste país mesquinho, a competência perde-se numa fracção de segundos, e custa uma "eternidade" a ganhar.
Digam-me uma coisa, um pessoa deixa de ser ou é menos competente profissionalmente por causa das suas orientações sexuais, das suas crenças religiosas?! Enquanto assim for, este país não anda para a frente!

Life disse...

lol... existem locais mais proprios... mas pronto... mas claro agr vai ser como que sempre apontado como se tivesse algo horrivel... e nunca vai conseguir os bons olhos dos outros... é este o mundo em q vivemos.

Aequillibrium disse...

Ele arriscou. Eu não o teria feito. Ele arriscou e sofreu/sofrerá as consequências. Mas quem sou eu para julgar?
Mas também me irrita o facto do falatório. Aposto que se tivesse sido apanhado com uma mulher, seria olhado como uma espécie de herói. Assim, como muito bem o dizes, pode ter a vida destruída. Não deixo de ficar triste por isso...

L. Antão disse...

É razoável ficar-se indignado com a diferença de tratamento entre este caso de paneleirice e outro de macho latino, mas sempre foi arriscado andar a chupar caralhos pelas esquinas. Se o rapaz não quis até agora assumir a sua homossexualidade por razões que são óbvias não devia arriscar tal prática. Se ele tiver força e coragem talvez se possa fazer respeitar mesmo sabendo que gosta de fazer broches. Eu também gosto, não os faço nas trazeiras do escritório nem escondo dos outros as minhas preferências sexuais, só assim posso ser respeitado e poder continuar a exercer o meu cargo na empresa onde trabalho.

G.love disse...

Não posso deixar de acrescentar que se calhar também haverá muita inveja pela coragem que ele teve em provar o que é bom e a muitos falta!

Natarajboy disse...

Confesso que me ri um pouco ao ler isto! Mas tens toda a razão, o preconceito, a hipocrisia, se tivesse sido a uma gaja, já n interessava o local, ser casado, filho de quem é ou ñ, ja seria um grande homem..Agora como foi com outro homem...enfim, axo que vai ser sempre assim a nossa sociedade o que podemos nós fazer?:S

Bento disse...

pois... e durante muito tempo ainda vai ser assim acredita

hellorufus disse...

O giro giro era terem tirado fotos e apedreja-los...
Estavam bebados? nao... então não podem dar a desculpa... ahhh não sabia muito bem o que tava a fazer... Ou ai entusiasmei-me...
Agora quem é que vai acreditar na do ai, estava bebado ao lado dele quando ele tava a mijar e eu cai de joelhos...

Sempre ouvi dizer que o importante era a publicidade...
Falem bem ou mal ou importante é que falem de mim...
Prefiro que falem mal de mim do que me ignorem...

Mas ya, deve ser fodido ser apanhado... apesar do risco no geral (e não de ser apedrejado) ser atractivo...

secret him disse...

LOLOLOL.. é realmente deliciosa a história :)))

SUPER disse...

Espero pelo menos que tenha sido bom para ambos enquanto durou... LOLOL

Anónimo disse...

Só quero dizer que há um erro no texto....escreve-se "energumenos" e não "inergumenos". No mais, que sejam felizes enquanto podem. E...who cares ? façam os broches que lhes apeteça....agora...escolham melhor os locais...é que Ninguém está autorizado a ser livre em qualquer lugar, principalmente com certos actos. Seja quem for.

Anónimo disse...

Cá para mim isso essa denúncia é coisa de mulheres. Porquê? Porque o gajo estava-lhe a fazer concorrência, e elas disseram logo: e nós, vamos chuchar o quê?
Está certo, elas é que sabem quanto custa a concorrência.

Blogger disse...

Play Audio: Sprinter - True Lya Lya