quarta-feira, junho 13, 2007

De volta…

Depois de uma ausência, por um lado provocada por outro lado inevitável, aqui regresso com muito ou nada para escrever. Nestas semanas que passaram passei por momentos felizes, menos felizes e de ausência de afectos por completo…

A atracção pelo abismo é realmente assustadora. Afastei-me de gente simpática e agradável, com um medo terrível de aproximações às quais não conseguisse vir a controlar. Lá vou continuando a fazer caminho pela estrada amarela à procura do meu feiticeiro de Oz. Hoje olhei para os sapatos vermelhos da Dorothy, mas não os consegui calçar…LOL…

O meu irmão mais novo casou…tudo muito bem: cerimónia agradável, gente pedante e snob – de referir que o meu irmão foi absorvido pelo pedantismo da linha de Cascais – pelo que os convidados constituíam uma amostra significante dos especímenes que por lá habitam…mas isso não interessa nada! Revi família que não via há muito, e com eles a inevitável pergunta/constatação “Então e tu? Quando é que te casas?...o teu irmão passou-te à frente…”. Momentos constrangedores acompanhados de uma auto-decepção não só para mim, mas pela decepção dos meus pais…eles já perceberam que não me irei casar e finalmente concretizaram o sonho de casar um filho, mas não o filho mais velho como seria expectável… No final desse dia a minha mãe disse-me, com alguma emoção e talvez decepção, “Obrigado por teres pedido um mano…”. – história antiga… o facto de eu ter um irmão, deveu-se à minha insistência de quando tinha seis anos de querer um mano para brincar. Hoje, está casado e com planos para aumentar a família e eu aqui à espera de ser simplesmente tio… aquilo a que se chama o relógio biológico também já deu sinal em mim, como eu gostava de ter um filho… mas porra, as mulheres não me excitam! E tenho duvidas que alguma esteja disposta a fazer o “sacrifício” de se deixar emprenhar por inseminação artificial… começo a recear o futuro. Não tenho medo da solidão, pelo menos agora…

Finalmente incompatibilizei-me com o meu orientador. Se a investigação é minha, porque é que ele não há de gostar da temática?! Assunto encerrado! Bardamerda! Finalmente conheci os meus limites da paciência. Resta-me agora chorar o dinheiro que gastei na faculdade para uma orientação de qualidade…. Vou levar a minha proposta a Espanha. Estive lá na semana passada, espaço agradável, com gente simpática e sempre muito disponível para esclarecer todas as minhas dúvidas, mesmo quando falava aquela coisa de portunhol…porque é que todos os portugueses pensam que sabem falar espanhol? Nunca percebi… e eles, acho que também não…LOL
Visita inevitável ao El Corte Ingles. - Porra! É tudo mais barato! Comprei um dicionário de português-espanhol... instrumento que espero vir a dar muito uso. LOL

Estou de volta à prática, vou deixar a secretária por dois meses. Como já sentia falta deste frenesim… tantas vidas que se cruzam, tantas estórias que se ouvem. Como por vezes somos tão exigentes e insatisfeitos, quando existem outros que nada têm...

Prestes a mudar de casa... vai ser um verão a fazer mudanças... no entanto, as chatices já começaram a fazer-se sentir: não é normal uma casa nova ter fugas de água pela parede!!!
Mas como dizem... um mal nunca vem só...
...da-sseee

18 comentários:

heartvibes disse...

Em relação ao relógio biológico podes sempre tentar acreditar que a ciência um dia vai conseguir evoluir ao ponto de combinar o material genético de dois espermatozoides, inseri-lo num ovulo desnucleado e pufff fazer-se magia! Depois só falta inventar uma incubadora com as mesmas características de um útero e já tá!

Utópico não?

ergitoit disse...

nunca tive muito jeito nisto dos comentarios, mas basicamente o que quero dizer é que tenhas muitas felicidades nesta nova fase da tua vida... nao so na casa nova (apesar das fugas de agua!), mas tb num novo... sitio de trabalho? acabo por nao perceber se teras mesmo de ir para espanha ou nao! espero que tudo corra bem! em relaçao ao relogio biologico... nao sei bem o que dizer... eu nao sou do genero de ter filhos, por isso nao entendo mt bem essa necessidade!ou sou daqueles que se contentara com o ser tio!

Aequillibrium disse...

É bom ter-te de volta!
;)
Concordo com o heartvibes, apenas acho que não vai ser no nosso tempo... lol
Eu para tio já não fico, já sou!
As melhoras das infiltrações e um grande abraço.

Hugo disse...

É realmente bom estares de volta...já sentia-mos a tua falta!
Eu nem para tio fico...os meus papás não me deram um mano...agora aguente-se...não há avós!
Em relação à casa é efectivamente chato, mas mais vale agora do que quando o construtor já não possa fazer nada!
Em relação a Espanha, não percebi se te vais mudar ou apenas passar uns tempos, seja qual for a situação, desejo-te toda a sorte do mundo!

:)

pinguim disse...

Dou-te toda a razão, no que respeita ao desejo (egoísta?), de ter um filho. Também eu o desejaria ter e não o tive exactamente pelas mesmas razões que tu. Quanto a sobrinhos, ganho-te à distância, pois já tenho um sobrinho-neto, em idade de casar.
Felicidades para a nova casa.
Abraço.

Tongzhi disse...

E afinal tinhas tanta coisa para dizer!
Cunhadas da linha... sei o que é mas na versão masculina!!! Não sei o que será pior ;)
Investigação/orientação... nem quero imaginar esse problema. Na primeira fui muito feliz e na segundo espero repetir!
Quanto ao relógio... como sou "marinheiro de segunda água", já trazia na "bagagem" um filho... e sinto-me muito feliz por isso!
Quanto à casa... a todo o momento me vão bater à porta para "partir" a lareira... obras!!!

Life disse...

nao gostei nada do comentario da tua mae... mas cada um interpreta como quiser... pessoalmente e apesar de nao ser nada comigo tocou-me... mas pronto...

De resto vais ver q essas obras que se avizinham ir�o correr pelo melhor!

Abra�os!

João disse...

o comentário que a tua mãe fez é algo k a minha nunca poderá fazer... terá, para sempre, um desgosto pelo facto do seu filho ser homosexual... o meu pai a mesma coisa e o sentimento de que não terão netos é, sem duvida, um dos mais presentes neles...
a mim, sinceramente, pouco me importa o que pensam e como se sentem... neste momento deixou de ser um problema meu mas sim deles e da sua aceitação, pois eu sei que me comporto de todas as maneiras correctas que possam amenizar e atenuar a situação... o tempo agora é deles e a aceitação também. afinal eu não iria deixar de ser feliz por causa de terceiros, mesmo que sejam os meus pais!
quanto à solidão... é, a par com a morte, a coisa que mais tenho medo! desde sempre até...

RIC disse...

Regresso em força! O tom geral é disso testemunha. Parabéns!
Não cheguei a ver-me confrontado com os tais olhares dos pais: uma mãe que partiu cedo demais e um pai que não se importava minimamente com coisas dessas...
O mundo da investigação em Portugal... Pois... Parece que se mantém igualzinho ao que era há vinte anos... Tristeza pacóvia...
Linha de Cascais? Jamais! Tive a minha conta no tempo em que sabia suportar aquelas coisas e aquelas gentes. Depois, a paciência acabou de repente, e eu «dei à sola»... até agora.
Sobre a questão do filho, não direi nada a não ser que poderia eu próprio ter escrito essas linhas...
Bem-vindo ao convívio, Manuel!
Um abraço! :-)

Momentos disse...

Bem regressado.
Em breve a chegar, também eu, ao clube dos tios...

Will disse...

É bom ter-te de volta!

Parece-me que alguém vai ter um Verão em cheio, lol

TD disse...

llol entao e quando te casas?llol
nao te esqueças de nos convidar..

Dogma Central disse...

Ta descansado que o mundo dá muita volta e há coisas que não vale a pena preocupares-te em antecipação. Temos que ser felizes pelo que nos somos e esperamos de nos próprios e não viver para cumprir um qualquer dogma.

Wagner disse...

Já vi mais alegrias or aqui... Mas todos temos direitos a altos e baixos. E não podemos ter tudo...
Busque ser feliz, é o que importa! Curta ser tio! Já o sou, e me dou muitíssimo bem. É verdade que minha mãe adoraria ter netos filhos meus, mas se não pode tê-los, aceita, e me trata com todo o carinho e apoio que sempre me deu. Torço para que encontre sua felicidade! Quanto a orientação, é mais complexo o assunto. Orientador é feito para orientar. Não fazer nada é melhor do que atrapalhar. Se não há solução, muda-se. Paciência!
Um abraço de um visitante de além-mar.

Graduated Fool disse...

A questão do não ter filhos diz-me muito. Já sofri muito com isso. Ter um filho é, talvez, o meu maior sonho. Na verdade, hoje sofro menos, porque criei uma espécie de barreira mental relativamente ao assunto.
Escrevi há dias um post onde abordo algo que me aconteceu recentemente, relacionado com isto. A vã esperança de ter um filho.

Bom regresso aqui e bom encontro com a casa nova.

Abraço

L. Antão disse...

Por vezes tenho a sensação que não há muita originalidade nas vidas das pessoas: há nuances, há datas, há locais,há outras pessoas e nós, mas no fundo as experiências vão-se repetindo com a cadência que cada um de merece. E no fundo são os problemas e as dificuldades que tornam a vida digna de ser vivida e tronam as facilidades mais saborosas. Se tudo fosse um cruzeiro, ou melhor se a vida fosse um passeio num cruzeiro para que serviria?
Com isto não quero dizer que as fissuras e as infiltrações não são uma grande maçada, mas o que fazer?

mummy_boy disse...

Primeiro: Senti-me um bocado discriminado com essa coisa dos espécimes que habitam na linha de Cascais :S

Segundo: Nem sei que te diga. Ser pai é aquela coisa que me faria completo. Uma vez o meu pai disse-me: Saber que não me vais dar netos é o meu maior desgosto! o_O Tipo é o teu maior desgosto?!? e achas que é fácil para mim? Tu ao menos já és pai! como tu disseste: da-ssee.

Terceiro: gostei muito do teu blog :)

abraço

cris disse...

ainda há mulheres que passam e passariam por uma inseminação artificial, quanto mais não seja por um amigo ou por estarem na mesma situação... talvez encontres alguma com o relogio biologico a dar horas...

o que me entristece é a forma como os processos de adopção são feitos em Portugal... porque há por ai muita gente solteira que para alem de dar bom pai e mae, acolheria da melhor formas essas crianças... mas enfim...

we can dream...still...