quarta-feira, junho 27, 2007

Será preconceito?


Fui jantar em casa de amigos que remontam à minha adolescência inocência. Éramos inseparáveis e anos mais tarde acabaram por casar e hoje têm uma filha com três anos. A nossa proximidade diminuiu uma vez que os nossos interesses intelectuais caminhavam em direcções opostas, e depois veio a faculdade, cursos opostos em que um desenvolvia o estudo humanístico e outro o raciocínio lógico-matemático. O nosso grupo de amigos foi se modificando, mas mantivemos sempre um cordão umbilical que nos une, e sempre que há merda para o lado deles eu constituo aquele que sabe ouvir os desesperos e desaires das suas vidas…
O jantar foi agradável, conversámos de tudo, revivemos asneiras que fizemos no passado, partidas que pregávamos a terceiros – nada simpáticas, por sinal – enfim foi um serão a reviver memórias do ensino secundário.
A filha a determinada altura começa a fazer uma birra de sono e a F. foi deitá-la no quarto quando o J. me diz, para o meu espanto e indignação, que eles tinham aderido a um clube de swing…
Eu não queria acreditar, mas ele até me mostrou as fotos da F. vestida de látex… fotos essas necessárias para o perfil desse mesmo club. “Não digas nada a ninguém!...” - claro que nunca iria contar - mas fiquei em estado de sitio uma vez que me faz uma impressão bestial o conceito da troca de casais. “Isso não é infidelidade! È comum acordo…é só sexo, é tudo físico, e não há sentimentos…” – Quê ?!?!?
Nunca fui adepto do sexo ocasional, pois sempre fui motivado pelo pânico das doenças e gente com hábitos higiénicos suspeitos, e estou agora perante um amigo que diz ser uma coisa banal e puramente física.
Estarei a ser preconceituoso?

23 comentários:

Aequillibrium disse...

Não. Estás a a tua opinião.
Há que respeitar as opções dos outros, mas eu também nunca o faria. Simplesmente porque não o conseguiria. Não sou capaz de dissociar amor de sexo, o físico do psíquico. Sou uma pessoa de sentimentos...
Se eles se sentem assim felizes (duvido,mas não excluo)...
;)

Tongzhi disse...

Eu aceito sem restrições as opções sexuais de cada um. Encaro o swing como uma dessas opções.
Não me venham com a história que é uma forma de convívio social, como alguns swingers querem "rotular". Convívio social foi o que tu estiveste a fazer com eles - jantar, ouvir música, discutir um tema, programar e fazer uma viagem em conjunto...
Não há riscos????
Claro que há... e muitos!!!

Momentos disse...

Sem dúvida que sim, na medida que afecta-te por ser alguém próximo. Não acredito que seria a mesma reacção perante estranhos.

cris disse...

embora não concorde, a liberdade de cada um é para ser vivida como cada qual a entende, mas concordo com o tongzhi, social é ter serões assim com amigos e nao uma inscrição num clube de swing... se a razão é apimentar a relação, há muitas outras maneiras de o fazerem a dois e nao a tres ou a quatro... ou simplesmente trocando... a monotonia pode fazer muitos estragos, mas a dois e como a propria palavra relação indica: ligação, laços, que devem ser reforçados e nao contornados... mas se a monotonia faz um corte, o swing, na minha modesta mas sincera opiniao, é um tiro de bala... como jogar á roleta russa...

até ao dia...

Pedro Eleutério disse...

“Não digas nada a ninguém!...”

Todos somos um pouco preconceituosos em relação a alguma coisa. Perguntas-te se estás a ser perconceituoso? Talvez estejas... mas é algo com o qual vais ter de lidar. Todos nós somos um pouco preconceituosos, racistas, xenofobos e outras coisas mais. É um facto, e só temos de relaxar um pouco e encarar que é real, desde que, claro, não usemos esse preconceito para magoar ou ferir alguém. As coisas podem ser levadas de forma saudável. Se é correcto ou não o que os teus amigos começaram a fazer? Quem somos nós para ditar isso? Cada qual escolhe viver a sua vida como quer e cada qual vive o amor como o sente. Regras para o amor? Há muitas... e poucas são as que batem certo. O máximo que podemos fazer é advertir as pessoas para os perigos que certas actividades podem trazer. Mas acima de tudo vamos respeitar as opções de cada um. Se eles são felizes... eles o saberão.

Um abraço
Pedro

pinguim disse...

Numa relação afectiva, tudo aquilo que possa contribuir para a manutenção e até um acréscimo da chama do bom entendimento mútuo, não será de desprezar.
Todos teremos a nossa maneira de sentir em relação a certos casos, que fogem ao tradicional amor e sexo; mas há mil e uma forma de um casal, seja ele qual fôr se entender, neste campo. Eu também não acharia bem, ver-me envolvido, juntamente com a pessoa que amo em jogos desse teor, mas aceito perfeitamente que haja quem os pratique.

TD disse...

nao mais do que os outros em relaçao a relaçoes gays..

heartvibes disse...

Tal como já foi dito aqui não consigo dissociar o sexo do amor e como tal o swing nunca seria uma opção para mim! Para além disso creio que o nosso corpo é a ultima coisa que temos certa como nossa até ao fim das nossas vidas, tudo o resto (roupas, adereços, bens moveis ou imoveis) pode aparecer e desaparecer num ápice, pelo que preservo o meu corpo e apenas o entrego a quem na minha opinião o mereça!
Com efeito, o swing existe, é real mas não quero que faça parte da minha realidade, e não acho que por dizer isto seja preconceituoso!

AEnima disse...

Para mim e' muito facil dissociar amor e sexo. Uma coisa nada tem a ver com outra. Mas nao conseguiria ser parte de um clube de swing. Nao me esta no sangue. Se sou comprometida com alguem, entao estou com essa pessoa, por amor, e prefirio te-la so a ela e ser a unica da vida dele.

Ja nao julgo. Ficou muito em voga. Eu nao o quero para mim mas nao estou em posicao de julgar quem o faz. Tambem nao quero drogas e nao julgo quem as toma, nao quero jogar num casino mas ate admito que deve ser algo divertido para quem gosta. Rejo-me pelo mesmo principio.

Acho que e' a necessidade dos casais se manterem em casamentos longos sem "facadinhas". Vejamos se vai durar.

Beijinho fofo. Ja ha muito que nao te "via". Esta tudo bem?

Graduated Fool disse...

Sempre houve traições e sempre as haverá, é certo e sabido.

A sociedade actual adoptou uma série de estratégias para combater a monotonia do casal, para se livrar do carimbo da traição, para poder ter sexo com outros, mantendo uma relação. Torna-se cada vez mais comum a prática do swing, do levar terceiros para a cama do casal.

Assim, nunca um poderá apontar o dedo ao outro, porque ambos o fazem. Assim, a consciência não pesará. Assim, a relação pode continuar sem o medo terrível que é perder o companheiro.

Não censuro estes casais. Entendo porque o fazem. É uma opção para quem não quer perder o companheiro. Muitas relações terminam por haver traição, porque um dos elementos quer experimentar coisas novas, porque um dos elementos não quer ter sempre sexo com a mesma pessoa para o resto da vida ou durante alguns anos. Um dos elementos ou ambos, claro. Com "actividades" destas a relação não tem de terminar e, ao que parece, dura até muito mais tempo.

Muitas pessoas querem tudo. Um relação, sexo com outros e encontram estas formas de o conseguir. Não perdem o companheiro e ainda ganham o sexo com outros sem se sentirem traidores.

Não os censuro mas também não os admiro. Aceito, só isso. Se se amam verdadeiramente ou não, só eles saberão.

Consigo perfeitamente separar amor de sexo. Concebo, perfeitamente, que se possa ter sexo com alguém que não se ame. Senão muito amor haveria por aí entre muita gente e, não acredito que o haja, verdadeiramente.

Seria eu capaz de tais "actividades"? Tenho dúvidas. Nunca o fiz nem tenho tais necessidades.

Sou lírico ao ponto de achar que uma cama é de um casal, um cantinho especial de dois, não de três ou quatro. Arrisco-me, obviamente, a ficar sozinho ou a ter relações de menor duração mas prefiro assim.

Os meandros das relações duradouras que metem outros pelo meio podem ser soluções e familiares para muitos mas ainda me transcendem, ainda não fazem parte de mim, nem sei se algum dia farão.

Prefiro acreditar que duas pessoas podem ser felizes, sem terem de recorrer a outros sexualmente.


Muito mais haveria a dizer, claro.

Hugo disse...

Manuel,
Se não os descriminares por isso, não me parece que haja aí qualquer tipo de preconceito!
Além disso tens direito a tua opinião!
Abraço

João disse...

Concordo plenamente contigo... eu para fazer swing só se fosse por querer ser processado por agressão.
Ver o meu namorado a ter prazer com outra pessoa ou a dar prazer a alguém sem ser eu, só em pensamentos, já me dá um arrepio na espinha... se estivesse perante a situação real entºao... meu deus! nem kero pensar. acho k me dava uma coisa. fico até com enjoos só de pensar. pode ser um sentimento muito possesivo da minha parte... mas seria incapaz de uma "partilha" dessas.
fazer amor com o filipe é algo de trancendente. algo de mágico em que muitas vezes a unica comunicação que existe é a sintonioa dos nossos dois corpos... não sou capaz de conceber como é que existem pessoas que queiram algo mais que isto? talvez não o tenham... mas não é com o swing que o terão e o conceito de é so sexo... epah, não me fodam 8desculpa) mas isso para mim é desculpa de mau pagador. não cola!
swing, para mim, não é mais do que uma forma de traição consentida. não... definitivamente não é para mim!

Luis disse...

temos de ter a elasticidade suficiênte para não criticar as opções dos outros, muito embora não as pratiquemos nas nossas vidas. O importante de tudo é que as pessoas sejam felizes.

pinguim disse...

Manuel, volto aqui só para te informar que o link que tens no nome "Whynotnow", não existe mais, pois o blog "foi apagado".
Poderás, caso queiras, substitui-lo por este, que aqui vai.
Abraço.

nImpossiblePrince disse...

Há que respeitar, isso eu respeito, preconceito ou não, eu por acaso tb assumo que é algo que me faz alguma confusão :S

Jose disse...

A "exclusividade" cada vez mais tende a desaparecer nas relações de hoje em dia... sejam heteros ou gays... Se bem que o conceito de "casamento" é algo imposto como contracto de exclusividade para duas pessoas... mas é sempre tentador cair na busca do prazer em outros locais com outras pessoas... Talvez os teus amigos tenham acordado uma relação aberta... ou provavelmente a saturação matrimornial ja lhes bateu á porta!

hugz

http://dpomnatmirblog.blogspot.com/

João Pedro disse...

Olá

Estive a ler o teu blog do início ao fim e fiquei maravilhado com todo o seu conteúdo, desde aos amores antigos até às pequenas (por vezes grandes) questões que se nos colocam no nosso dia a dia. Adorei a tua maneira de escrever e a grande capacidade de transmitires a nós leitores o que escreves de uma maneira autêntica e "poderosa".
Se quiseres entrar em contacto, visto não ter blog, poderás fazê-lo através do meu mail: john_peter_18@hotmail.com

pedropina disse...

experimenta

experimenta e depois diz kk coisa....

kelt disse...

Leio-te pela primeira vez e gosto...
É especial a forma como escreves e descreves as vivências, as emoções e principalmente os sentimentos. Sem saber muito bem porquê é este post que vou comentar!
Tudo tem sido dito nos comentários anteriores e como alguém dizia: "As opiniões são como as vaginas, quem quiser dá-las, dá-las!" lol
Pessoalmente acredito no amor! Acredito na entrega total! Nos dias que correm, por isto que sou e sinto, sou considerado um cavaleiro andante romântico e sem destino (entenda-se: ninguém vive assim!!!) Acredito também que poucas são já as oportunidades que se dão ao amor, no sentido em que ao mínimo problema, ao mínimo resquício de "crise" se tenha de procurar fora uma solução enquanto, na maiorira dos casos, essa solução está à frente dos olhos e é com o amor de uma partilha que se pode encontrar.
Respeito o mundo (como poderia não o fazer?) mas, feliz ou infelizmente, tenho liberdade para optar como pretendo respeitar-me a mim próprio.
Um abraço incógnito e desconhecido... mas um abraço!

X disse...

[Em primeiro lugar parabéns pelo teu modo de escrita :)]

Preconceito ou não, o que há a fazer é aceitar.Não que alguma vez tenha estado num clube de swing, nunca senti essa "necessidade", no entanto não "condeno" essa atitude, parto do princípio que as pessoas antes de se atirarem de cabeça para algo deste género pensam bem e analisam...

É uma situação difícil de entender, ainda para mais quem não passou, não sabemos o que é que os motivou a isso!

Anónimo disse...

"preconceito"
"o importante é as pessoas serem felizes a maneira pouco importa "
bjs
"as pessoas tem que viver mais e criticar menos "

Elisheba disse...

Para mim, uma aberração da natureza.
...mas quem nao cometeu pecado, que atire a primeira pedra!
Todo o ser humano comete aberrações, diferentes entre si, dái achar que as dos outros sao maiores mas aos olhos de Deus não.

Fica bem!:)

Anónimo disse...

Loja online especialista na melhor selecção de lingerie sofisticada, sexy e sensual. Uma invasão de charme, glamour e sedução.
http://www.soparaela.net/